Macau avança este ano com turmas bilingues em duas escolas públicas

Os serviços de educação de Macau vão criar, no ano letivo 2017/2018, pela primeira vez, turmas bilingues em duas escolas públicas, como meio de incentivar a formação de quadros que dominem o português e o chinês, foi hoje anunciado.

Segundo um comunicado da Direção de Serviços de Educação e Juventude (DSEJ), “com o intuito de formar prioritariamente talentos bilingues excelentes para o Governo da Região Administrativa Especial de Macau”, está planeada a criação de “uma ou duas turmas em português e chinês”, no primeiro ano do ensino primário e do secundário na Escola Oficial Zheng Guanying, e no primeiro ano do ensino primário na Escola Primária Luso-Chinesa da Flora.

Fonte: Macau avança este ano com turmas bilingues em duas escolas públicas

Anúncios

China vai duplicar professores de mandarim nas escolas portuguesas 

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, anunciou em Macau, que o Instituto Confúcio se comprometeu a duplicar o número de professores que envia para Portugal para as escolas portuguesas abrangidas pelo projeto-piloto do ensino de mandarim.

Fonte: Educação – China vai duplicar professores de mandarim nas escolas portuguesas 

A CodeWeek 2016

codeweekEU-logo-600.png

A 4ª Semana Europeia do Código está a chegar. Este ano irá decorrer entre os próximos dias 15 e 23 de outubro. A iniciativa é promovida por diversas entidades europeias, das quais se destaca a Comissão Europeia.

Esta iniciativa visa celebrar a criatividade e desmistificar questões relacionadas com a programação, de forma a dar a conhecer, cativar e trazer mais crianças, jovens e adultos para este “mundo”. Atividades, como a da Semana Europeia do Código, têm sido promovidas por todo o mundo, pois apesar de toda a animação e descontração inerentes a estas ações, estima-se que só na Europa no ano de 2020 existam cerca de 825 mil vagas por preencher na área da computação. Assim, facilmente se compreende que as CodeWeeks não surgiram por “geração espontânea”, mas sim focadas no minimizar de um problema.

Portugal não tem ficado de fora desta iniciativa e à semelhança do resto da Europa tem registado um crescimento no número de participantes e de eventos ocorridos nesta semana. Estes dados demonstram que as instituições e cidadãos estão cada vez mais conscientes da importância que a programação tem no presente e que virá a ter no futuro.

Continuar a ler

“Muitos dão aulas há 15 anos mas ficam sem emprego em agosto. Neste ano são 3800”

O Diário de Notícias publicou ontem um artigo onde faz referência à vida dos professores contratados:

Estiveram nas escolas, no ano inteiro, 3782 contratados. Voltaram a ficar sem vínculo neste mês e têm de tornar a lutar por um lugar. Há quem tenha adiado a maternidade até aos 41 anos ou tenha ido viver a 555 km de casa

Todo o artigo em http://www.dn.pt/portugal/interior/muitos-dao-aulas-ha-15-anos-mas-ficam-sem-emprego-em-agosto-neste-ano-sao-3800-5337663.html

Português será integrado no sistema educativo francês

 

Franca-bandeira01

O ministro da Educação disse, esta segunda-feira, que o português passará, a partir do próximo ano letivo, a integrar os currículos do sistema escolar francês como língua estrangeira.

Mais detalhes em Português será integrado no sistema educativo francês

III Encontro Internacional Casa das Ciências

IIIEncontro de Ciências.jpg

A Casa das Ciências organiza o III Encontro Internacional Casa das Ciências subordinado ao tema “O ensino das ciências para a sociedade do conhecimento”. Decorrerá no Instituto Superior de Engenharia do Porto entre os dias 11 e 13 de julho.

Pode submeter resumos para comunicações até dia 12 de junho.

Este encontro está acreditado como Curso de Formação pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua com o registo CCPFC/ACC-87078/16, 21 horas correspondentes a 0,8 créditos, para os grupos de recrutamento 110, 230, 500, 510, 520 e 550.
Veja as condições de frequência.

Para mais informações consulte o endereço do encontro

http://www.casadasciencias.org/3encontrointernacional/index.html

E se o Scratch 3 estivesse para ser lançado?

Scratch3.0.jpegPara os amantes da programação e do ensino desta aos mais novos o Scratch, desenvolvido pelo MIT, é uma ferramenta incontornável e muitos já se têm questionado como será a nova versão do “gato” e para quando a possibilidade de o ter em dispositivos móveis.

Pois, parece que a resposta surgiu hoje e com uma parceria Scratch – Google!

A nova versão do Scratch (para já conhecida como Scratch 3.0) traz algumas novidades aguardadas há algum tempo. No anúncio oficial pode ler-se:

“Our broader goal is not just to support Scratch itself, but to spread the Scratch approach to coding and learning. And that’s why we’re announcing today a new collaboration with Google, focused on helping other developers create high-quality coding experiences for kids. As a first step, we’re working with Google to develop a new generation of graphical programming blocks, called Scratch Blocks, which we hope will be adopted widely by developers of children’s products. The underlying code for Scratch Blocks will be made available as open source, so that developers can easily integrate the blocks into apps, games, and toys that they are creating for kids.

Scratch Blocks brings together two different programming “grammars” that we have designed over the past decade. The standard Scratch grammar uses blocks that snap together vertically, much like LEGO bricks. For ourScratchJr software, intended for younger children, we developed blocks that are labelled with icons rather than words, and snap together horizontally rather than vertically. We have found that the horizontal grammar is not only friendlier for beginning programmers but also better suited for devices with small screens (such as mobile devices).”.

Veja o anúncio (em inglês) aqui.

Como o ensino de robótica para crianças e adolescentes vai muito além da criatividade

patterson-learning-with-robots-460x345Meninas e meninos de variadas idades se agrupam em torno de peças quadradas LEGO e delicadas placas de Arduino. Eles são o sujeito de criação daquilo que vai nascer do amontoado de peças: pode ser um pequeno robô humanoide ou um carrinho – tudo depende da criatividade e da disposição do grupo. O professor orienta o processo, interferindo apenas quando necessário. O que for criado será fruto da imaginação, do senso de coletividade e da coragem de errar de quem ligou circuitos e apertou componentes.

Toda a notícia aqui http://fundacaotelefonica.org.br/noticias/como-o-ensino-de-robotica-para-criancas-e-adolescentes-vai-muito-alem-da-criatividade/ 

Root: o novo robot do MIT para ensinar crianças a programar – SAPO Tek

Segundo revelou a Wired, o projeto conta com três anos de trabalho de uma equipa do Wyss Institute de Harvard e permitirá ensinar os segredos da programação, quer seja a uma criança de cinco anos ou a um programador de nível intermédio.

Mas, afinal, o que faz exatamente este robot? Na realidade, trata-se de um equipamento bastante versátil, que permite ao utilizador programá-lo quer seja com ícones mais gráficos, com uma linguagem simples como o Scratch do MIT, ou mesmo com código complexo como o Javascript.

No entanto, e independentemente da forma como o robot é programado, os promotores do projeto garantem que o Root está recheado de hardware que garante horas de diversão a quem o controla.

Tem sensores de posicionamento e direção que o ajudam a orientar-se, com painéis magnéticos que permitem andar em paredes de metal verticais, a que se juntam sensores de cor na parte inferior, sensores áudio e um para-choques sensível ao toque a toda a volta. Da zona da barriga poderá sair uma caneta que permite desenhar na superfície onde se encontra.

O Root pode ser programado para desenhar padrões num quadro branco, fazer corridas contra outros Roots, ou aprender a atravessar grandes espaços, corrigindo a trajetória sempre que bate numa parede. Estes são exemplos pensados pelos criadores do robot, mas a tecnologia pode ser usada para ir mais longe. Basta olhar para o que aconteceu com o Raspberry Pi.

O Robot ainda não está disponível comercialmente, mas a equipa que o desenhou está a trabalhar no sentido de encontrar parceiros que permitam começar a apresentá-lo rapidamente nas escolas.

Retirado de: Root: o novo robot do MIT para ensinar crianças a programar – SAPO Tek

TIC@Portugal16 com inscrições abertas

cartaz_thumbnailJá estão abertas as inscrições para o TIC@Portugal’16 nos seguinte locais:  Monte de Caparica; Vila Real de Santo António; Bragança; Coimbra; Mangualde e Setúbal.

Contamos que as inscrições em Braga, Évora, Lisboa e Santarém estarão também disponíveis em breve.

Convidam-se todos os professores e educadores a apresentarem publicamente o trabalho que desenvolvem com as TIC nas suas escolas.

 

 

 

 

Mais informação em http://wordpress.educom.pt/TIC-Portugal-16/