TangIn – Programação Tangível para a inclusão e promoção das STEM

Logo TangInProjeto TangIn | Programação Tangível para a inclusão e promoção das STEM (Ciências, Tecnologias, Engenharia e Matemáticas)

Conceitos e atividades acessíveis de programação tangível irão potenciar o desenvolvimento das capacidades dos alunos do 1.º e 2.º CEB.

O projeto TangIn – Promoção da inclusão e das disciplinas STEM nos currículos escolares através do uso de conceitos e atividades de programação tangível visa promover junto de professores a utilização eficaz de conceitos e ferramentas de programação tangível, favorecendo a adoção de práticas pedagógicas mais atrativas e inclusivas, que reforcem a motivação e o interesse dos alunos. As crianças naturalmente brincam e descobrem com as mãos. A programação tangível torna programação mais acessível para os mais jovens, recorrendo a objetos físicos para tornar as instruções mais diretas e menos abstratas.

Esta abordagem pedagógica funciona como uma alternativa à utilização de interfaces digitais e elementos gráficos, promovendo uma interação de grupo para a resolução dos problemas, inserido num contexto lúdico onde o resultado é palpável e a associação causa-efeito fácil de estabelecer. Assim, ao combinar e estimular o raciocínio crítico, a criatividade e a negociação em grupo através de uma interação manual e simples, a programação tangível é acessível e estimulante para todos (alunos e professores) independentemente das suas origens socioeconómicas, género, aptidões e conhecimentos ou acesso prévio a ferramentas digitais.

O projeto é cofinanciado pelo programa Erasmus+ da União Europeia e reúne organizações e instituições educativas num consórcio composto por parceiros de 4 países diferentes (Portugal, Espanha, Letónia e Bulgária), sendo coordenado pela empresa portuguesa Carreira & Alegre Lda.

Ao longo da execução do projeto pretendem-se atingir os seguintes resultados:

  • Enquadramento pedagógico para estimular o uso de conceitos de programação e a aprendizagem de disciplinas STEM no 1.º e 2.º Ciclo do Ensino Básico;
  • Conjunto de recursos didáticos e diretrizes para os professores;
  • Pacote de formação para professores.

Nos passados dias 9 e 10 de novembro de 2017 realizou-se em Matosinhos na sede da INOVA+ a reunião de arranque deste projeto. Neste encontro procedeu-se à apresentação dos diferentes parceiros e foram analisados e debatidos o plano de ação, as principais tarefas, e a sua implementação de forma a alcançar os resultados esperados.

Investigadores, professores, diretores escolares, estudantes e responsáveis políticos terão um papel importante na implementação do projeto e a sua colaboração será essencial para a respetiva prossecução. O consórcio pretende envolver outras organizações e indivíduos, incluindo escolas, professores, institutos de investigação e universidades.

Se estiver interessado em participar no projeto TangIn ou se quiser obter esclarecimentos adicionais, poderá fazê-lo contactando João Queiroz através do email joao.queiroz@migobot.com. rodape noticia

Continuar a ler

Anúncios

Alunos na Sibéria vão à escola mesmo com temperaturas de -50ºC

sivtseva9452 Instagram© sivtseva9452 / Instagram

A haver um prémio para os alunos mais resistentes, muito provavelmente os da localidade de Oymyakon na Rússia seriam potenciais vencedores.

Uma notícia publicada no passado dia 23 no sítio na internet do canal RT revelou que os alunos da localidade de Oymyakon só não vão à escola quando as temperaturas são inferiores a -52ºC (alunos do 1.º ao 5.º ano de escolaridade).

Oymyakon é considerada o Pólo Norte do frio. Detém o recorde de -71ºC obtido no ano de 1926, figurando no livro de recordes (Guinness Book of Records) como a zona habitada mais fria no mundo.

No passado dia 23 os termómetros locais registaram os agradáveis -50ºC. No entanto, a administração local garantiu que todos os alunos estavam nas escolas.

Para aceder à notícia do RT siga o endereço (em inglês, mas com fotografias e vídeos do local): https://www.rt.com/news/410782-siberian-children-blizzard-school/

 

Candidatos a professores têm das médias mais baixas

ng6185943

No passado dia 8 deste mês, o jornal Expresso publicou um artigo onde revela que “são cada vez menos os alunos que querem dar aulas. E estes estão longe de ter as notas mais altas. Portugal não é um caso único”.

Esta realidade não é propriamente novidade, no entanto o jornal apresenta eventuais explicações com comparações e dados da OCDE. Vale a pena a leitura e reflexão!

Para aceder ao artigo do Expresso siga o endereço: http://expresso.sapo.pt/sociedade/2017-11-08-Candidatos-a-professores-tem-das-medias-mais-baixas

Adolescentes – Depressão e uso de Smartphones – Estudo

Depression-loss_of_loved_one.jpg

Um estudo publicado este mês na revista Clinical Psychological Science  da autoria de  revela que o número de adolescentes americanos com depressão tem estado a aumentar desde 2012, relacionando este facto com o uso de smartphones por esta faixa etária.

O estudo revela que os adolescentes que passam mais tempo nas redes sociais e a utilizar equipamentos digitais revelam mais problemas mentais, enquanto que adolescentes que passam mais tempo em atividades “nonscreen” revelam menos tendência para este tipo de problemas. 

Para aceder ao estudo e ter acesso a todos os detalhes da investigação e seus resultados, siga o endereço: http://journals.sagepub.com/doi/full/10.1177/2167702617723376

Fórum Educação Murtosa – 2017

MURTOSA

Para se inscreverem — Enviar email para exec@pamf.edu.pt
com a indicação de:
Nome, Email, Escola ou Instituição, Grupo de Recrutamento, Nível de Ensino.

Coffee-Breaks e Almoço: oferta do Município da Murtosa.

 

Integrado na programa comemorativo do 91º aniversário da criação do Concelho da Murtosa, o salão nobre dos Paços do Município da Murtosa recebe, no próximo dia 27 de outubro, o “Fórum Educação Murtosa – 2017”, um espaço de partilha e reflexão acerca da temática da educação, organizado, em parceria, pela Câmara Municipal da Murtosa e pelo Agrupamento de Escolas da Murtosa e especialmente dirigido à comunidade educativa.

O Fórum Educação será dividido em duas grandes partes temáticas: no período da manhã serão apresentadas propostas inovadoras no domínio do uso da tecnologia no contexto formativo, trazidas por Sandra Vasconcelos e por Filipe Moreira, enquanto que a tarde será dedicada à reflexão acerca das políticas e estratégias de educação, com a presença de dois reputados especialistas: António Abreu Freire e José Augusto Pinho Neno.

Paralelamente, terá lugar, na sede do Agrupamento de Escolas, uma ação de formação, dirigida a educadoras de infância, da responsabilidade da Associação Portuguesa das Educadoras de Infância (APEI) no âmbito da educação musical na infância, aberta a todas as educadoras do Concelho (rede pública, privada e solidária).

As inscrições no Fórum Educação e na ação de formação da APEI, gratuitas e limitadas, podem ser feitas através do e-mail exec@panf.edu.pt, indicando o nome, contacto, escola ou instituição e grupo de recrutamento.

PROGRAMA
09H00 – Receção e acreditação dos participantes;
09H15 – Acolhimento e Boas Vindas:
Intervenção do Presidente da Câmara Municipal da Murtosa, Joaquim Baptista;
Intervenção do Diretor do Agrupamento de Escolas da Murtosa, Manuel Arcêncio da Silva;

09:30H – “Utilização de dispositivos móveis em ambiente formal de ensino-aprendizagem”
Sandra Vasconcelos, PhD – Universidade de Aveiro
Debate

11H00 – Pausa para café

11H30 – “O Robot MI-GO em Educação”
Filipe Moreira – Investigador – Universidade de Aveiro
Debate

13H00 – Almoço – Escola Pe. António Morais da Fonseca

14H30 – “Educação, Tolerância, Globalização”
António de Abreu Freire, PhD
Debate

16H00 – “Política de Ensino e Organização do Sistema Escolar”
José Augusto Pinho Neno, Mestre em Ciências da Educação
Debate

17H00 – Encerramento seguido de Visita Guiada à COMUR-Museu Municipal

Continuar a ler

Educação: Governo britânico quer taxar Redes Sociais

Planos do Executivo inglês passam por ‘obrigar’ as redes sociais a participarem em programas de educação da população mais jovem.

Toda a notícia em: Educação: Governo britânico quer taxas Redes Sociais

%d bloggers like this: