Restrições alimentares. Explicar às crianças e não dramatizar

Crianças a torto e a Direitos

Texto do http://www.dn.pt/de 14 de novembro de 2016.

dn

Joana Capucho

Para ajudar um jovem com excesso de peso a emagrecer a família deve adotar o mesmo tipo de comida. Se há uma intolerância alimentar, só a criança beneficia das restrições

Quando Bárbara fez 6 anos, Cristina Santos descobriu que a filha era doente celíaca. “No início, foi complicado.” A lista do que não podia comer era assustadora. O preço dos alimentos também. E existia, ainda, o risco de contaminação. Retirar o glúten da alimentação do resto da família – tem dois irmãos – nunca foi uma opção. Passaram sete anos. Apenas Bárbara come alimentos sem glúten, mas raramente as suas refeições são diferentes. “Tentamos que a comida seja o mais semelhante possível à nossa.” Por exemplo, se os dois irmãos comem douradinhos, Bárbara também, mas os seus são diferentes. “Se for açorda, fazemos uma base em conjunto e depois…

View original post mais 824 palavras

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s